Terapia Bowen. Corpo equilibrado naturalmente

A Terapia Bowen teve origem na Austrália, pela mão do terapeuta corporal autodidata Tom Bowen, e foi recentemente introduzida em Portugal. Rapidamente se expandiu para outros países, graças aos seus resultados positivos na recuperação e tratamento dos mais variados quadros clínicos, como por exemplo, ao lidar com a dor miofascial e anomalias estruturais.
Em termos de popularidade é uma terapia que tem crescido entre os diversos grupos terapêuticos pelo facto de poder, também, ser aplicada em casos de trauma extremo, pós-operatório de cirurgias, em bebés e pessoas idosas com debilidade avançada. É uma forma de dar equilíbrio ao corpo, boa para prevenir lesões e também na otimização da performance desportiva.

O QUE É

É uma abordagem dinâmica de relaxamento fascial e muscular, por meio de movimentos suaves, sobre músculos, tendões e ligamentos específicos, músculos, tendões e ligamentos específicos, que provocam um aumento do fluxo sanguíneo, linfático e

energético. A fisioterapeuta Ana Ratão, especialista nesta terapia, dá consultas desta especialidade na clínica NOVA PHYSIO e ajuda-nos a perceber melhor do que se trata. “Por vezes denominada como ‘uma técnica do flick’, a terapia de Bowen é considerada uma terapia da fáscia que, entre outras coisas, é:
– É uma componente do tecido conjuntivo, que providencia linhas de stress ou choque, absorção e integridade estrutural;
– Envolve músculos, ossos e articulações e mantém-nos verticais;
– Suporta a estrutura do nosso corpo, dando-nos forma;
A fáscia Desidratada e imobilizada pode aderir a outros níveis da própria fáscia e provocar disfunções.”

DE QUE FORMA ATUA

A especialista explica que “atua em todo o corpo através de movimentos específicos em pontos chave. A sua principal caracteristica é o movimento Bowen, movimento suave com características particulares, sobre estruturas várias, o qual, através de mecanismos reflexos do sistema nervoso, activa o sistema nervoso autónomo provocando reflexos de relaxamento. Isto provoca um reajuste das tensões musculares, permitindo um realinhamento das estruturas e uma melhor funcionalidade, ao mesmo tempo que recruta mecanismos reparadores e auto regeneradores do corpo. Ana Ratão acrescenta ainda que “É por isso que no tratamento Bowen, os movimentos são intercalados com períodos de repouso, nos quais esperamos as respostas do corpo. O movimento Bowen pode ajudar a reidratar os componentes da fáscia, restaurando a sua elasticidade. O início da reidratação da fáscia, através da Terapia Bowen, pode desfazer muitos dos efeitos negativos da tensão crónica, imobilidade e stress, assim como ser o gatilho para tornar possíveis outros tipos de trabalho.”

TRATAMENTO

Os movimentos Bowen são feitos com os polegares e dedos atuam diretamente sobre a pele. “Uma sessão de terapia Bowen pode demorar de 30 a 60 minutos. E, normalmente a periodicidade dos tratamentos é de uma vez por semana, durante os primeiros tratamentos ou até que seja constactada uma redução significativa das queixas dolorosas, o que acontece, na grande maioria dos casos, até ao final do quarto tratamento. Depois há um aumento progressivo do tempo que medeia os tratamentos, até à fase da manutenção – que pode ser uma vez por mês – ou à paragem completa”, diz a terapeuta da Nova Physio. Um tratamento Bowen pode ser feito sem patologia associada, como forma de reequilibrio e de permitir um ‘reset’ do sistema, provocando um profundo relaxamento e respostas de reparação tecidular, independentemente de queixas musculo-esqueléticas que possam ou não existir. É uma forma de dar equilíbrio ao corpo. Tal como já referido, muito bom para prevenir lesões e otimizar a performance desportiva. Caso não se observem quaisquer melhorias neste período, poder-se-á sugerir uma outra abordagem ou, eventualmente, a descontinuação dos tratamentos. Possivelmente, num outro momento, o corpo poderá ter uma resposta diferente.

OUTRAS FORMAS DE OTIMIZAR O TRATAMENTO

A ingestão de água é um factor que contribui grandemente para optimizar os benefícios desta terapia, onde ‘o menos é mais’, querendo isto dizer que muitas vezes se observam melhorias evidentes fazendo tratamentos com menos movimentos e tempos mais longos de espera entre os movimentos.

CONTRAINDICAÇÕES

Ana Ratão avança que “praticamente não existem contraindicações, podendo ser aplicada em bébés, idosos e grávidas e mesmo em situações patológicas nas quais outras intervenções terapêuticas estão contraindicadas.” Em resumo, a terapia Bowen permite uma resposta neural forte, que tem a ver com a capacidade de cura natural do corpo. Os resultados falam por si. É uma terapia que continua a crescer em popularidade.

Crédito da Imagem: http://idealsmarter.perfectinter.net  via  Pinterest.

Voltar